sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Quem manda é o cliente

Algumas coisas na vida demoramos para aprender, sofremos, nos desgastamos, nos frustramos, até que um dia a ficha cai.

Comigo não é diferente e em alguns casos me surpreendo com a minha cegueira em relação a fatos relevantes que acontecem em nosso cotidiano.

Talvez seja por que temos que ser multifunções e fechamos nossa mente para coisas julgamos menos importantes (no nosso conceito apenas).

Uma dessas coisas e sobre "O cliente é quem manda". Estou neste caso, me referindo ao meu cliente interno, que solicita diversos serviços da área de tecnologia e precisa ser prontamente atendido. Este grau se eleva e muito quando a solicitação vem do alto escalão.

Vou ficar apenas no exemplo do alto escalão (Presidente, sócios, diretores, etc). Nem sempre atendemos rapidamente ao nosso "clientão" por que julgamos que nós da TI somos donos da verdade absoluta. Nem sempre é desta forma e deixamos de atender uma solicitação expressa e alta relevância para o "Clientão". Ou seja, o cliente nos pede uma coisa e queremos entregar outra por que analisamos o macro e todas as variáveis possíveis (segurança, preço, retorno, etc).

Porém, acontece que o risco está com o cliente, se eu não o atendo, represo a coisa comigo analisando as variáveis, o risco ficou comigo, ou seja, assumi toda a responsabilidade se algo acontecer devido ao não cumprimento da tarefa a tempo.

Bem amigos, aprendi recentemente que quando um Clientão pede algo "pra ontem" e é de extrema relevância para ele e para o negócio o atendimento é imediato!!!
Se me solicitaram pra ONTEM, TEMPO é a palavra de ordem e não MELHOR PREÇO, QUALIDADE, SEGURANÇA, enfim.

Ricardo, você está ficando maluco?? Não mesmo!!! O cliente é quem manda, estabelece a prioridade e assumi o risco, não eu, sobretudo se é um "Clientão".

Mas devo deixar claro que não vou entregar o melhor produto, mais seguro e com o melhor preço e sim no tempo hábil, com a urgência estabelecida. Fazendo isto o risco deixou de ser meu e agora é do "Clientão", pois ele é quem manda.

Ricardo, você está sendo omisso? Não mesmo!!!
Volto a dizer, quem manda é o CLIENTE, é ele quem sabe o valor do ATIVO, cabe a mim analisar e alertar sobre as vulnerabilidades e suas ameaçãs, medindo o risco. Mas a palavra de ordem era TEMPO (com a sua determinada razão) e assim deveria ter sido atendido.

Como senti na pele esta experiência, pois assumi um risco por achar que eu era dono da razão, deixo registrado para quem achar conveniente, adotar a postura contrária à minha.

Aprendi a lição.

Abraço.

2 comentários:

solange@ferrometal.com.br disse...

Gostei muito. è bem verdade que o cliente é quem manda. Só não podemos esquecer de preveni-lo dos riscos. Feito isso,manda!!!

Ricardo Pernambuco disse...

Obrigado pelo comentário Solange. Mas confesso que não é fácil as vezes ter que passar por cima de algumas regras estabelecidas pelo próprio cliente e que impacta diretamente em sua área de atuação, pois alguns conceitos que eu estudei e inconscientemente sigo tenho que deixar de lado.
Estarei sempre aguardando sua opinião em relação aos posts. Continue comentando.
Abraço, Ricardo.